Arquivo do mês: setembro 2014

Pablo Neruda – entrevistado por Clarice Lispector

Pablo Neruda – foto: (…)

Numa manhã de abril de 1969, a escritora brasileira entrevistou o poeta chileno, que, à época, era considerado um dos mais importantes nomes da poesia em língua espanhola no século 20.

Cheguei à porta do edifício de apartamentos onde mora Rubem Braga e onde Pablo Neruda e sua esposa Matilde se hospedavam — cheguei à porta exatamente quando o carro parava e retiravam a grande bagagem dos visitantes. O que fez Rubem dizer: “É grande a bagagem literária do poeta”. Ao que o poeta retrucou: “Minha bagagem literária deve pesar uns dois ou três quilos”.

Neruda é extremamente simpático, sobretudo quando usa o seu boné (“tenho poucos cabelos, mas muitos bonés”, disse). Não brinca porém em serviço: disse-me que se me desse a entrevista naquela noite mesma só responderia a três perguntas, mas se no dia seguinte de manhã eu quisesse falar com ele, responderia a maior número. E pediu para ver as perguntas que eu iria fazer. Inteiramente sem confiança em mim mesma, dei-lhe a página onde anotara as perguntas, esperando Deus sabe o quê. Mas o quê foi um conforto. Disse-me que eram muito boas e que me esperaria no dia seguinte. Saí com alívio no coração porque estava adiada a minha timidez em fazer perguntas. Mas sou uma tímida ousada e é assim que tenho vivido, o que, se me traz dissabores, tem-me trazido também alguma recompensa. Quem sofre de timidez ousada entenderá o que quero dizer. Continua. Fonte: Templo Cultural Delfos.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Bibliotecas premiadas pelo melhor design

biblioteca

A biblioteca James B. Hunt Jr., chamada de “biblioteca do futuro”, localizada na Universidade da Carolina do Norte, foi uma das vencedoras

Os EUA têm mais de 120.000 bibliotecas espalhadas pelo país. Algumas se destacam também pelo design. Conheça as eleitas deste ano pela Associação Internacional de Design de Interiores.

s bibliotecas são o que podemos chamar de “casa do conhecimento”. Guardam desde obras de diferentes épocas, autores e gêneros, a manuscritos, documentos raros, acervo multimídia, entre outros. Alguns desses locais são famosos também pelo design. E quem elege as melhores bibliotecas nesse quesito é Associação Internacional de Design de Interiores (IIDA, na sigla em inglês).

Em 2014, nove bibliotecas foram premiadas por combinarem excelência no design no espaço, criatividade, funcionalidade e satisfação do visitante ou leitor. Abaixo, separamos as seis principais, todas localizadas nos Estados Unidos (veja aqui a lista completa), país que tem mais de 120.000 bibliotecas.

Para quem está de passagem pelos EUA ou pretende visitar cidades como Nova York (NY), Midland (Texas), Filadélfia (Pensilvânia), Raleigh (Carolina do Norte), St. Louis (Missouri), vale a pena conhecer as bibliotecas eleitas pelo melhor design e o que elas guardam em seus acervos. Veja as Bibliotecas. Fonte: Roteiros Literários.

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência da Informação: Biblioteconomia e arquivologia

Professora receberá como horas extras período reduzido entre jornada noturna e diurna

A 5ª turma do TST reconheceu, em decisão unânime, o direito de uma professora de receber como horas extras o tempo reduzido do seu intervalo interjornada, entre as aulas que ministrava no período da noite e as diurnas. Os ministros determinaram à Fundação Cultural de Belo Horizonte o pagamento das horas extras com reflexos em outras verbas trabalhistas.

De acordo com o artigo 66 da CLT, o intervalo interjornada mínimo deve ser de 11 horas, mas a professora da Fundac tinha um intervalo de apenas 8h40min nos dias em que lecionava à noite, pois as aulas se encerravam às 22h40 e seu expediente no dia seguinte tinha início às 7h20. Segundo a docente, isso acontecia três vezes por semana. Em ação judicial, a professora pediu o pagamento das 2h15 reduzidas do seu intervalo, três vezes por semana, como horas extras com reflexos em outras verbas. Continua. Fonte: Migalhas.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Revista dos Tribunais nº 947 – setembro/2014

Encontra-se disponível na Biblioteca do MPT/RN. Veja sumário.

Revista dos Tribunais 9470001

Deixe um comentário

Arquivado em Sumário de Periódicos

TST implanta sistema de ancoragem para proteção ao operário que faz trabalho externo

O Tribunal Superior do Trabalho modificou o sistema de proteção do pessoal que faz trabalho externo de recuperação de fachada, lavagem, pintura e manutenção. A partir desta semana será implantado o sistema de ancoragem, atendendo o previsto na Portaria 157, de 10/4/2006, do Ministério do Trabalho e Emprego.

O documento dispõe que as edificações com no mínimo quatro pavimentos ou altura de 12m, a partir do nível do térreo, devem possuir previsão para a instalação de dispositivos destinados à ancoragem de equipamentos de sustentação de andaimes e de cabos de segurança para o uso de proteção individual, a serem utilizados nos serviços de limpeza, manutenção e restauração de fachadas.

De acordo com Luiz Marques, coordenador de Manutenção e Projetos, foram instaladas esferas de ancoragem em 830 pontos distintos, distribuídos entre os blocos A, B, C, marquise, passarela e guarita, distantes a cada 2,5 metros. As esferas de ancoragem são produzidas em aço inoxidável e chumbadas no concreto. Depois de instaladas, faz-se um teste com a máquina de pressão de 1500 quilos. Todos os pontos são certificados.

“As cordas que sustentam os operários se prendem a esses ganchos. Esta ancoragem atende até 1500 quilos. O sistema é usado em duplicidade: o operário é amarrado em um gancho e feito um backup em outro ponto para garantir maior segurança”, salienta Luiz Marques.

Para o ministro presidente do TST, Barros Levenhagen, a alteração vem ao encontro das ações preventivas de acidentes de trabalho que vêm sendo realizadas pela Justiça do Trabalho. Fonte: Sec. de Comunicação Social do TST.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Trabalho degradante gera condenação de R$ 2,5 milhões

Via Sul exigia jornadas de 16 horas diárias, sem horário de almoço, e submetia motoristas ao acúmulo da função de cobrador

A Via Sul Transportes Urbanos Ltda. foi condenada pela Justiça em R$ 2,5 milhões por submeter os motoristas a condições degradantes de trabalho. Os empregados chegavam a cumprir jornadas de 15 a 16 horas diárias, sem intervalos para as refeições. Os trabalhadores também exerciam a função de cobrador. A sentença foi dada pelo juiz Carlos Eduardo Ferreira de Souza Duarte Saad, da 37ª Vara do Trabalho de São Paulo, em ação civil pública do Ministério Público do Trabalho no estado (MPT-SP).

O inquérito civil conduzido pelo MPT-SP ouviu diversos trabalhadores, que afirmaram terem sido obrigados a fazer as horas extras muito além do permitido por lei (duas horas). Segundo os empregados, as horas eram pagas “por fora” com valores inferiores ao devido, para não constarem no contracheque, como forma de burlar a fiscalização. Em um dos relatos, um trabalhador afirmou que “os empregados não podem recusar-se a fazer a jornada de trabalho exigida pela empresa com “fominha” (horas extras pagas por fora) porque, se recusarem, podem ser punidos com um “gancho” (suspensão)”.

Outro empregado contou que já presenciara, diversas vezes, a dispensa por justa causa de funcionários que haviam se recusado à jornada de trabalho dobrada. A empresa também obrigava o motorista a realizar a função de cobrador, caso este não estivesse presente. A Via Sul também não permitia que os empregados fizessem pausas para almoçar ou jantar. A própria empresa confessou que seus motoristas e cobradores tinham apenas 30 minutos de descanso diluídos ao longo da jornada. Continua. Fonte: MPT.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

“100 coisas que todo trabalhador deve saber” nº 034: salário atrasado

Deixe um comentário

30/09/2014 · 9:31

“100 coisas que todo trabalhador deve saber”, nº 33: CTPS

Deixe um comentário

30/09/2014 · 9:30

Empregadores formarão capital para custear prótese de empregado

Um grupo de empregadores de São Paulo foi condenado pela 7ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho a constituir capital para fornecimento, manutenção vitalícia e substituição periódica da prótese de um trabalhador rural que teve parte da perna amputada em acidente numa colheitadeira. Esse capital, representado por imóveis, títulos da dívida pública ou aplicações financeiras em banco oficial, é inalienável e impenhorável enquanto durar a obrigação do devedor. Continua. Fonte: Conjur.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

(In) segurança do trabalho (192)

Foto da galeria Vote na Imagem da Edição 274 - Outubro/2014

Sonhando Alto – Trabalhador improvisa área de descanso ao dormir na prancha de madeira designada à circulação de operários, segundo requisitos de segurança previstos no item 18 (Armações de Aço) da NR 18. Autor: Denis Roberto Vieira de Souza – Engenheiro de Segurança do Trabalho. Fonte: Revista Proteção.

Deixe um comentário

Arquivado em (in)segurança no trabalho

50 anos da Mafalda!

Mafalda faz 50 anos: mítica personagem do cartoonista Quino comemora meio século de vida com exposições e homenagens na Argentina e em todo o mundo. Leia em: http://biblioo.info/mafalda-faz-50-anos

Deixe um comentário

30/09/2014 · 8:50

Os presidenciáveis e as políticas do livro


Os três principais candidatos à presidência expuseram seus pontos de vista sobre as políticas públicas do livro e leitura a pedido do jornal O Globo, a partir de questões formuladas por escritores e especialistas no assunto. Lei das Biografias, extensão da desoneração fiscal do digital, lei do preço fixo foram alguns dos temas.

Clique aqui e veja a repercussão no PublishNews e um linkg para a íntegra das posições de Dilma Rousseff, Marina Silva e Aécio Neves. Fonte: O Globo e Blog do Galeno.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Mosteiro de São Bento revela obras raras de biblioteca

Foto: Daniel Teixeira/ Estadão

Títulos publicados entre os séculos 15 e 18 foram encontrados no mais antigo acervo da capital; obras estarão acessíveis ao público

Nos 416 anos de história, são poucos os que tiveram o privilégio de circular entre os livros da biblioteca do Mosteiro de São Bento, a mais antiga em funcionamento da cidade de São Paulo. Menos ainda são os que manusearam os livros mais raros do acervo de 105 mil obras: 581 títulos publicados entre os séculos 15 e 18. Entre eles estão seis incunábulos, livros rudimentares dos primórdios da imprensa, que mesclam o manuscrito com os tipos móveis.

Este tesouro encravado no coração da cidade, protegido pela clausura dos monges beneditinos, começa a se tornar mais acessível ao público em geral. Há três meses, o software usado na indexação desses livros foi substituído por um mais moderno. Assim, a partir do primeiro semestre do ano que vem, qualquer um poderá saber, entre mais de 20 mil livros já catalogados no software, quais constam na base.

“Isso vai simplificar nosso processo, já que aquele que precisar consultar um livro de nosso acervo já entrará em contato conosco sabendo que ele existe aqui”, explica o bibliotecário Marcelo Delvalle, que trabalha ali há dois anos. Qualquer pesquisa na biblioteca é autorizada apenas mediante agendamento prévio. Atualmente, a própria equipe é responsável por checar se a obra desejada existe ou não no acervo. O pesquisador não tem acesso ao interior da biblioteca; recebe e consulta o livro em uma sala anexa. Hoje, trabalham ali cinco pessoas: Delvalle, um auxiliar e um monitor, além de dois religiosos. Continua. Fonte: Estadão.

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência da Informação: Biblioteconomia e arquivologia

Jogos de linguagem estabelecem limites ao intérprete do Direito

por Marco Aurélio Marrafon

Os jogos de linguagem formam um rede de significações previamente compartilhadas que vinculam a interpretação das palavras da lei.  Não se pode dizer qualquer coisa dos textos normativos porque o contexto e seus sentidos pré-fixados não permitem. Eis algumas possibilidades de título igualmente adequadas para a coluna de hoje.

Parece simples, mas para bem compreender a dimensão dessas afirmações é necessário investigar uma das passagens mais ricas da história da filosofia, especialmente a partir do final do século XIX quando o “avô” da filosofia analítica — Gottlob Frege — rompe com a ideia de que a linguagem é mero instrumento ou meio pelo qual se raciocina e passa a defender a tese da linguagem como universal, ou seja, linguagem como condição de possibilidade do pensamento e das “leis da verdade”. Continua. Fonte: Conjur.

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Episódio inusitado: patrão terá de indenizar por agredir empregado com cintadas em público

Um episódio inusitado em um hotel em Balneário Camboriú, cidade turística de Santa Catarina, terminou com uma indenização de R$ 10 mil. Um ex-funcionário do estabelecimento foi atacado pelo patrão, em público, com cintadas nas costas em uma cafeteria ao lado do local de trabalho.

Testemunhas contaram à Justiça que a atitude foi repentina, mas o acusado, sócio do hotel, disse que a situação — uma discussão com os ânimos exaltados — foi iniciada pelo ex-empregado, que o provocara com ofensas relacionadas ao andamento financeiro e comercial do hotel. Continua. Fonte: Conjur.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais