Publicações digitais

Acesse sites e livros digitais de interesse geral e específico dos usuários da Biblioteca do MPT/RN.

Atenção: os livros nesta página foram disponibilizados gratuitamente pelos detentores dos seus direitos autorais e qualquer reprodução, total ou parcial, deve conter suas referências.

1. SITES/BLOGS

1.1. Biblioteca digital Domínio Público
Nela podem ser acessadas, entre outras coisas:
·         as grandes pinturas de Leonardo Da Vinci ;
·         músicas em MP3 de alta qualidade;
·         as obras de Machado de Assis;
·         vídeos da TV Escola.
O Ministério da Educação disponibiliza tudo isso, basta acessar o sítio:
1.2. Biblioteca Nacional Digital do Brasil. Clique aqui para acessar.
1.3. Scielo Livros – Livros digitais para dowload gratuito.  Clique aqui para acessar
1.4. Fundacentro – Publicações. Uma das áreas de atuação da Fundacentro é a difusão de conhecimentos, por meio da produção de livros, revistas, vídeos, CD-Rom, artigos técnicos (disponíveis para download) , encartes e fascículos de caráter técnico- científico, institucionais, didáticos e de divulgação sobre segurança, saúde e meio ambiente no trabalho.  Clique aqui para acessar
1.5. Tesouro bibliográfico – Blog sobre obras raras. A bibliotecária Márcia C. Rodrigues é a editora desse blog que aborda os mais variados aspectos das obras raras. Clique aqui para acessar
1.6. Escravo nem pensar: publicações sobre trabalho escravo, migração, cadeias produtivas. Clique aqui para acessar.
2. LIVROS
Atlas do trabalho escravo no Brasil (2012)

Eduardo Paulon Girardi, professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp  de Presidente Prudente, é um dos geógrafos autores do Atlas do Trabalho Escravo no Brasil. Escrito juntamente com Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello e Julio Hato, da USP, o material caracteriza pela primeira vez a distribuição, os fluxos, as modalidades e os usos do trabalho escravo no país, nas escalas municipal, estadual e regional.

Segundo o Atlas, o perfil típico do escravo brasileiro do século XXI é um migrante maranhense, do Norte do Tocantins ou do Oeste do Piauí. Também é típico que seja do sexo masculino e analfabeto funcional. Em geral esses trabalhadores são levados para as fronteiras móveis da Amazônia, em municípios de criação recente, onde são utilizados principalmente em atividades vinculadas ao desmatamento. Clique para acessar documento em PDF: Atlas do trabalho escravo no Brasil

Jornadas de Direito Civil: I,III, IV e V: enunciados aprovados
Imagem de capa da publicação

Publicação composta por enunciados aprovados a partir de debates acerca de temas sugeridos pelo Código Civil de 2002, promovidos pelo Centro de Estudos Judiciários do Conselho de Justiça Federal. Clique aqui para acessar.

Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas no Brasil (2004-2011): avaliações e sugestões de aprimoramento de legislação e políticas públicas

Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas no Brasil (2004-2011): avaliações e sugestões de aprimoramento de legislação e políticas públicas

Ano 2012. Este estudo tem o objetivo de oferecer um panorama dos avanços observados em termos de políticas públicas e legislação de enfrentamento ao tráfico de pessoas no País, bem como das lacunas ainda existentes, tendo como referência o Protocolo de Palermo. Documento na íntegra

Perfil dos principais atores envolvidos no trabalho escravo rural no Brasil

Perfil dos principais atores envolvidos no trabalho escravo rural no Brasil

O estudo traça o perfil dos atores envolvidos na escravidão contemporânea (trabalhadores resgata­dos, aliciadores – os “gatos” – e proprietários rurais). Está baseado em entrevistas qualitativas realizadas junto a esses atores e tem como objetivo desenvolver a base de conhecimentos e reflexão sobre o tema e subsidiar a elaboração de políticas que possibilitem avançar em forma consistente e definitiva rumo à verdadeira abolição do trabalho escravo no Brasil. ERRATA: No último parágrafo, 3ª linha, onde se lê: “desapropriação das fazendas” leia-se “expropriação de propriedades”…

Combate ao trabalho forçado: manual para empregadores e empresas

Combate ao trabalho forçado: manual para empregadores e empresas

Ano:  2011
Composto por 7 manuais.
Este manual para empregadores e empresas fornece excelentes ferramentas práticas e orientação, permitindo que as empresas e suas organizações identifiquem e evitem situações de trabalho forçado. O principal objetivo do manual é ajudar as organizações empresariais e de empregadores a compreender e tratar as várias dimensões e questões relacionadas ao trabalho forçado e ao tráfico de pessoas, reconhecendo que cada empresa e organização é única e têm diferentes necessidades e prioridades.

Guia para programas de qualificação para as trabalhadoras domésticas

Guia para programas de qualificação para as trabalhadoras domésticas

Ano: 2011
Considerando o interesse e a demanda para desenvolver ações de qualificação para trabalhadoras domésticas em nível local (estados e municípios), a OIT e a Seppir desenvolveram este Guia, que, a partir da experiência federal do Programa Trabalho Doméstico Cidadão, traça algumas orientações para ações semelhantes em unidades federativas. Este material foi construído com base na primeira fase do referido Programa.

A evolução histórica da ergonomia no mundo e seus pioneiros

Os conceitos e aplicações da ergonomia estão em constante discussão no âmbito acadêmico, caracterizando um corpus de conhecimento de grande expressividade para a própria ciência ergonômica e demais áreas tecnológicas correlatas, a saber: engenharias, design, arquitetura, e outras. Entre as demandas para ampliar as análises em torno dessa disciplina apresenta-se sua evolução histórica, a qual está completa de controvérsias e discussões. De fato, há ainda uma grande dificuldade em relatar suas etapas históricas dentro do âmbito geográfico e a participação de seus precursores nessas fases. Assim, o propósito dessa coletânea foi o de reunir os estudos realizados pelos alunos da linha de pesquisa ergonomia, associados ao Laboratório de Ergonomia e Interfaces – LEI, no Programa de Pós-graduação em Design – PPGDesign, da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Universidade Estadual Paulista, e apresentar subsídios para ampliação da discussão e reflexão evolutiva da ergonomia. Os primeiros capítulos relatam os precursores da ergonomia, com destaque para Leonardo da Vinci e seus estudos na área da anatomia; Bélidor, Patissier e suas contribuições para a organização do trabalho; o Taylorismo e os aspectos da organização científica do trabalho, bem como a contribuição de Jules Amar nesse âmbito. Os demais capítulos abordam a origem e evolução da ergonomia na Europa, na Rússia (ex URSS), Estados Unidos da América, América Latina e Brasil, com ênfase a criação de laboratórios e associações não governamentais. De modo geral, os estudos ora apresentados preenchem lacunas ainda existentes dentro da ergonomia e procuram estabelecer um elo de ligação para a continuidade futura das pesquisas na área. download

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s