Arquivo da categoria: Literatura, Livros, Língua Portuguesa

literatura, poesia, jornalismo, língua portuguesa

14 filmes especiais com grandes mulheres da literatura

the-bronte-sisters

Histórias reais quase sempre emocionam e quando elas dizem de escritoras e poetisas, as quais admiramos, parece que o fascínio se torna ainda maior. Em comum nessa lista de 14 filmes biográficos estão grandes mulheres que com poesia e prosa mudaram o mundo. Cada filme, com sua peculiaridade, é capaz de despertar em nós interesse, fascinação e até mesmo desapontamento, pois como leitores não cansamos de idealizar aquelas que um dia nos sussurraram aos ouvidos as mais belas palavras. Espero que gostem da seleção! Clique aqui para ver. Fonte: Notaterapia.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

29 de outubro: dia nacional do livro

O Tempo e o Vento – Erico Verissimo

Gabriela, cravo e canela – Jorge Amado

Sítio do Picapau Amarelo – Monteiro Lobato

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

“Amar a leitura é trocar horas de fastio pro horas de inefável e deliciosa companhia” JFK

Fonte: Biblioteca do Senado.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Estudantes belgas deixam de capturar Pokémons para caçar livros

Livros Go

A brincadeira foi criada no dia 12 de agosto e, desde então, 47.848 pessoas estão inscritas no grupo dos caçadores de livros

Esqueça Bulbasauro, Charmander, Pikachu e outros monstrinhos. Depois da febre mundial de Pokémon Go, o que vem fazendo sucesso entre os belgas é a brincadeira Chasseurs de livres(Caçadores de Livros, em português).

Inspirada pela realidade virtual do jogo da Nintendo, Aveline Grégoire, a diretora de uma escola primária na cidade belga de Farcienne criou um grupo no Facebook para procurar livros nas ruas. O conceito é bastante simples: o jogador escolhe um livro que queira doar ou compartilhar com outras pessoas, deixa em um local público e de fácil acesso e então posta uma foto no grupo, indicando onde a obra foi deixada. Depois que a pessoa terminar a leitura, deve retribuir: devolver o tesouro ou abandonar outro livro para que um próximo jogador possa também possa ler.

Ok, não é tão high-tech quanto Pokémon Go, mas nem por isso é menos atraente. A brincadeira foi criada no dia 12 de agosto e, desde então, 47.848 pessoas estão inscritas no grupo dos caçadores de livros. As obras variam de clássicos e livros infantis à livros de autoajuda e romances eróticos – a maioria deles é doada em embalagens plásticas para ficarem protegidos das mudanças do tempo. Junto com o livro, muitos jogadores escrevem uma carta ao próximo leitor ou a instrução do grupo, que diz: “Sou um livro abandonado. Me capture, me leia e me liberte na natureza”.

Vendo a grande repercussão da brincadeira, a idealizadora, Aveline Grégoire, pensa agora em passar de fase e transformar o jogo em um aplicativo.

Se o leitor tiver sorte em encontrar os títulos certos, a caça aos livros pode realmente virar uma caça ao tesouro. Fonte: Super Interessante.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Dia dos namorados: 10 cartas de amor de grandes escritores

love_letters

O sentimento mais discutido, criticado ou apoiado: o amor. Agora imagine o que escritores como Dostoiévsky, Lord Bryron e Machado de Assis fizeram ao direcionar cartas de amor às suas amadas. Frases como a de Machado: “Nós queimaremos o mundo, querida”, incendeiam as linhas destas missivas, arrancando verdadeiros suspiros dos admiradores deste sentimento, ou amantes da literatura desses gênios. Vejam algumas cartas de frandes escritores. Fonte: Homoliteratus.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Dia da Língua Portuguesa: assista reportagem sobre a reforma ortográfica

O Dia da Língua Portuguesa é comemorado nesta sexta-feira, 10 de junho, data da morte do poeta lusitano Luiz Vaz de Camões.  E para marcar a data a Rádio Senado apresenta a reportagem especial Tirando de Letra, com as idas e vindas da Reforma Ortográfica, que começou a valer no início deste ano. Nos 30 minutos do programa que vai ao ar nesta sexta-feira (10), às 18h, serão destacadas as principais modificações feitas na grafia da língua portuguesa ao longo de mais de um século.

A reportagem aborda o acordo ortográfico de 1990 e os passos que percorreu até o início de sua validade, em 2009. Toca também na dificuldade em se adotar a grafia em todos os países de língua portuguesa e, para isso, ouve linguistas, professores e outros especialistas no tema, além de senadores.

As principais críticas são de que muitas das novas regras acabaram complicando o uso da língua, em vez de simplificar. É o caso do fim do acento diferencial em palavras com a mesma grafia, como “para”, do verbo parar, e a preposição “para”. A reforma também acabou com o trema e com acentos em palavras com “heroico”, “ideia”, “voo” e “enjoo”. E provocou profundas mudanças no uso do hífen, alvo das maiores reclamações.

Tirando de letra, que tem produção e reportagem do jornalista Roberto Fragoso, mostra ainda as polêmicas sugestões de mudanças, como a simplificação da escrita com ideias como o fim do uso do “CH” e a adoção definitiva do “X” em palavras como “chácara” e “chefe”; além da eliminação do “H” mudo em palavras em torno da reforma de 1990 e das novas propostas.

Serviço

A Reportagem Especial será reapresentada no sábado (11) às 10h e no domingo (12) às 17h, horário de Brasília. O programa também pode ser ouvido pela internet no site www.senado.leg.br/radio. A Rádio Senado transmite sua programação para Brasília e regiões vizinhas na frequência de 91,7 MHz e para outras nove capitais: Cuiabá (102,5 MHz), Fortaleza (103,3 MHz), João Pessoa (106,5 MHz), Manaus (106,9 MHz), Natal (106,9 MHz), Rio Branco (100,9 MHz), Teresina (104,5 MHz), Macapá (93,9 MHz) e São Luís (96,9 MHz). Os programas da Rádio Senado são distribuídos para cerca de 4 mil emissoras no país por meio da RadioAgência.

Fonte: Ag. Senado.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

8 grandes mães da literatura

maes-na-literatura

Como reflexo que é das relações humanas, a arte literária se alimenta de grandes personagens femininas, mulheres que através de palavras se tornam reais – ao menos para os leitores, que rapidamente as identificam com a mãe que tiveram.

Ainda sobre maternidade, é bacana ler o que Clarice Lispector falou ao Jornal do Brasil em 1967:

Aliás uma pergunta que me fez: o que mais me importava – se a maternidade ou a literatura. O modo imediato de saber a resposta foi eu me perguntar: se tivesse de escolher uma delas, que escolheria? A resposta era simples: eu desistiria da literatura. Nem tem dúvida que como mãe sou mais importante do que como escritora.

Bom, como não temos que escolher entre uma e outra, montamos uma lista que une mães e literatura. Continua. Fonte: Homoliteratus

 

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Em 19.04.1886 nascia o poeta Manuel Bandeira!

O rio
Ser como o rio que deflui
Silencioso dentro da noite.
Não temer as trevas da noite.
Se há estrelas no céu, refleti-las
E se os céus se pejam de nuvens,
Como o rio as nuvens são água,
Refleti-las também sem mágoa
Nas profundidades tranquilas.

– Manuel Bandeira, em “Belo belo”, 1948.
Foto: Manuel Bandeira, no quarto do seu apartamento na
Avenida Beira-Mar, Rio, década de 1950.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Prêmio MPT jornalismo: tutorial de inscrição

ÍndiceDúvidas na hora de se inscrever no Prêmio MPT de Jornalismo? Está no ar um videotutorial que ensina o passo a passo das inscrições. Confira: https://www.youtube.com/watch?v=XeQb72Iku94&feature=youtu.be

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

21 de Março: Dia Internacional da Poesia, com José Saramago

“Não direi: Que o silêncio me sufoca e amordaça.
Calado estou, calado ficarei,
Pois que a língua que falo é de outra raça.
Palavras consumidas se acumulam,
Se represam, cisterna de águas mortas,
Ácidas mágoas em limos transformadas,
Vaza de fundo em que há raízes tortas.
Não direi: Que nem sequer o esforço de as dizer merecem, Palavras que não digam quanto sei
Neste retiro em que me não conhecem.
Nem só lodos se arrastam, nem só lamas,
Nem só animais boiam, mortos, medos,
Túrgidos frutos em cachos se entrelaçam
No negro poço de onde sobem dedos.
Só direi,
Crispadamente recolhido e mudo,
Que quem se cala quando me calei
Não poderá morrer sem dizer tudo.”

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Dia Nacional da Poesia

Deixe um comentário

14/03/2016 · 9:00

A mulher como inspiração na literatura

660 wide

Byron, Bukowski e Jane Austen para falar sobre a mulher como figura inspiradora da literatura.

Toda mulher, mesmo que não confesse, sente-se maravilhada com palavras bem colocadas, declarações cuidadosamente escritas e aquela situação de ser amada por alguém. Quando o poeta a faz sua musa, derramando todo o seu romantismo sobre os poemas, sonetos, cantigas e demais criações de sua autoria apenas para conseguir tornar público todo aquele sentimento o qual habita todo o seu ser, fazendo em alguns casos o levar à loucura por não conseguir ser correspondido, nestes casos certamente a mulher se sente valorizada e, consequentemente, atraída por seu pretendente. Toda essa atmosfera de amor pode se desenrolar em infinitas possibilidades, da mesma forma que tantos poetas trabalharam e expõem suas experiências com o amor. Continua. Fonte: Homoliteratus.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

40 frases clássicas de mulheres célebres

40 frases clássicas de mulheres célebres

Recentemente publicamos uma seleção com 50 frases clássicas de autores célebres. Embora a seleção tenha contemplado escritores de díspares perfis, nacionalidades e épocas, alguns leitores questionaram o fato de apenas três mulheres fazerem parte da seleção. Diante da indagação, fizemos uma nova versão da lista, desta vez incluindo apenas escritoras. A autenticidade de cada frase foi checada para não incorrer nos risco das falsas atribuições em meio a profusão de textos apócrifos e equívocos relativos à autoria. Além de frases fictícias,  que foram emprestadas às personagens e obras por intermédio de suas criadoras, há também frases retiradas de entrevistas e textos ensaísticos.

Aprendi com a primavera a deixar-me cortar e voltar sempre inteira.
(Cecília Meireles)

Me leia enquanto estou quente.
(Lygia Fagundes Telles)

Ajusto-me a mim, não ao mundo.
(Anaïs Nin)

A vaidade e o orgulho são coisas diferentes, embora as palavras sejam frequentemente usadas como sinônimos.
(Jane Austen)

CONTINUA. Fonte: Revista Bula.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

No mês da mulher, leia mulheres: 55 obras imperdíveis de autoras incríveis

Foto:  AK Rockefeller/Flickr.

por Renata Arruda

Celebrado dia 8 de março, o Dia Internacional da Mulher surgiu como uma homenagem à luta de operárias por melhores condições de trabalho e desde então, a cada março temos a oportunidade de utilizar a data da maneira certa: como uma celebração pelas conquistas femininas nos campos políticos, sociais e econômicos. Leia Mais Fonte: Revista O Grito

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Projeto inclui a leitura como forma de reduzir a pena de condenados

De acordo com o projeto, cada livro lido e resenhado valeria três dias a menos na prisão, com o limite de um livro por mês. O objetivo é estimular o preso a desenvolver atividades que podem favorecer a sua reinserção no mercado de trabalho e, consequentemente, a sua ressocialização. Entenda: http://bit.ly/1Q4RrPD

Você é a favor ou contra? Vote: http://bit.ly/1UOsMOL

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa