Arquivo do mês: novembro 2014

Homem cria projeto, deixa livros em ônibus e compartilha cultura no ES

Élson deixa livros em ônibus de Vitória, no Espírito Santo (Foto: Geovana Chrystêllo/ G1 ES)Élson deixa livros em ônibus de Vitória, no Espírito Santo (Foto: Geovana Chrystêllo/ G1 ES)
Com o aumento do uso de tecnologias e de redes sociais, disseminar o hábito de ler livros pode ser uma tarefa difícil. Mas no que depender do analista de sistemas Élson Luiz Altoé, de 57 anos, a prática vai continuar a ser incentivada. Há cerca de três anos, ele criou o projeto “Esqueça um livro e compartilhe cultura”, em que deixa nos ônibus da Grande Vitória exemplares vindos do próprio acervo, em uma tentativa de passar para frente toda a experiência adquirida por meio das páginas. “O objetivo do livro é ser lido, quanto mais gente lendo, melhor”, disse. Continua. Fonte: G1/ES

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

10 Filmes adaptados de obras da literatura brasileira

cidade_de-Deus

Quando o assunto é “o livro virou filme” sempre vem à tona algumas discussões acerca da fidelidade ao texto literário, além do velho comentário de que o livro é melhor que o filme. Mas pensem: ao lermos uma obra, cada um a interpreta de uma maneira diferente, cada um tem suas perspectivas e sensações a respeito daquilo que lê. Além disso, o tempo para a obra cinematográfica é um tanto reduzido, o que não permite reproduzir todos os detalhes de uma narrativa.

A obra literária não é fechada, cabe ao leitor interpretá-la de forma subjetiva, seja consciente ou inconscientemente. O sucesso do texto literário só é obtido quando o leitor adiciona a ele suas experiências de vida, quando traz suas bagagens, isto é, seu conhecimento de mundo. Já dizia João Ubaldo Ribeiro, a respeito do romance, que: “Um romance são tantos romances quantos forem seus leitores”. Portanto, não podemos sempre esperar que um filme acerte em cheio, que seja extremamente fiel ao livro e à nossa interpretação.

Mas vamos ao que interessa. Separamos, hoje, uma modesta lista de obras da literatura brasileira que foram parar nas telas de cinema. Será que vocês já assistiram alguns deles? Confiram: Fonte: Homolitaratus

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Auxílio-doença e aposentadoria por invalidez: cabe interpretação extensiva das doenças?

Por Larissa de Barros Pontes

A Portaria Interministerial nº 2.998/2001 elencou as doenças que são isentas de carência para fins de concessão de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez. É possível sua interpretação extensiva?

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Prêmio MPT de Jornalismo: “Até breve Haiti”

Murilo Salviano e Thiago Vilela são os autores de “Até Breve, Haiti – A história de haitianos traficados ao Brasil”, webdocumentário que investiga a situação desses imigrantes traficados ao Brasil. O trabalho finalista do Prêmio MPT de Jornalismo, mostra quem são esses haitianos, por que se aglomeram na pequena Brasiléia (AC), e muito mais. Entre os entrevistados, está o procurador Dr. Jonas Ratier Moreno, da Coordenadoria Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. www.atebrevehaiti.com

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Dono de carvoaria é preso por manter trabalho escravo

O dono de uma carvoaria na cidade de Bastos (SP) foi preso em flagrante nesta  quarta-feira (26) por manter dois trabalhadores em condições análogas às de escravo. O local foi vistoriado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) durante operação realizada pela Coordenadoria Nacional de Erradicação do Trabalho
Escravo (Conaete), que também inspecionou carvoarias nos municípios de Tupã e Rinópolis.

O empresário Wanderson Francisco do Amaral mantinha um casal de trabalhadores em condições degradantes de trabalho. No momento da chegada dos procuradores, os dois tiveram que se esconder a pedido do proprietário para frustrar o trabalho das autoridades. Contudo, os policiais federais localizaram o casal escondido numa plantação de tomates.

Os trabalhadores estavam sem registro em carteira de trabalho. Não eram fornecidos equipamentos de proteção individual (EPIs), áreas de vivência ou condições decentes de higiene e segurança. Eles almoçavam no meio do mato, mesmo local onde faziam suas necessidades fisiológicas, devido à ausência de banheiros. O corpo sujo de carvão era higienizado na beira de um rio, pois não havia sequer uma torneira à disposição dos carvoeiros. A mala com pertences e o galão de água eram armazenadas dentro dos fornos de carvão.

Os procuradores do Trabalho Luís Henrique Rafael e Marcus Vinícius Gonçalves deram voz de prisão ao empresário, que foi à delegacia da Polícia Federal no camburão da PRF. Wanderson Francisco do Amaral foi autuado pelo crime e preso na Casa de Detenção de Marília. Continua. Fonte: MPT.

1 comentário

Arquivado em Notícias gerais

STF decide: mulher tem direito ao intervalo de 15 minutos antes das horas extras

O Valor Econômico informa que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem que as mulheres têm direito a 15 minutos de descanso antes do início das horas extras. A determinação está na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O resultado final foi dado por cinco votos a dois. A maioria dos magistrados entendeu que o dispositivo não fere a igualdade entre os gêneros. O recurso analisado pelo Supremo foi apresentado pela rede de supermercados Angeloni, de Santa Catarina. A empresa questionava a constitucionalidade do benefício, garantido somente às mulheres por meio do artigo 384 da CLT. A companhia recorreu após perder no Tribunal Superior do Trabalho (TST). A 2ª Turma entendeu que uma ex-funcionária, que trabalhava como caixa, tinha direito a ser indenizada pelos 15 minutos que não lhe foram garantidos antes do início das horas extras. Na sessão de ontem, os ministros citaram que o entendimento favorável aos trabalhadores é predominante na Corte trabalhista. Leia direto da fonte

Veja também: STF confirma entendimento do TST sobre intervalo para mulher previsto na CLT. Fonte: TST.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Programa Artigo 5º debate trabalho temporário

Em 2013, foram contratadas 162 mil pessoas no período de fim de ano. Dessas, 19.500 foram efetivadas. Mas como fica a situação de quem é contratado apenas nesse período? O programa Artigo 5º discute trabalho temporário e mostra de que forma a Constituição Federal assegura a liberdade de profissão.

Para falar sobre os direitos dos trabalhadores temporários, o programa convida o advogado trabalhista Stevão Gandhi, e a professora de Direito Trabalhista Paloma Neves.

Exibições:

Inédito: 26/11, às 21h. Reapresentações: 27/11, às 12h30; 28/11, às 10h; 29/11, às 7h30; 30/11, às 7h; 1/12, às 12h30; e 2/12, às 11h. Fonte: STF.

Deixe um comentário

Arquivado em Fotos, audios e vídeos

Fiscalização flagra exploração de trabalho escravo na confecção de roupas da Renner

Cômodo em que via uma famílias em um dos alojamentos da oficina terceirizada pela Renner. Foto: Igor Ojeda

Cômodo em que vivia uma família em um dos alojamentos da oficina terceirizada pela Renner. Foto: Igor Ojeda

A Renner, rede varejista de roupas presente em todo o Brasil, foi responsabilizada por autoridades trabalhistas pela exploração de 37 costureiros bolivianos em regime de escravidão contemporânea em uma oficina de costura terceirizada localizada na periferia de São Paulo (SP).

Os trabalhadores viviam sob condições degradantes em alojamentos, cumpriam jornadas exaustivas e parte deles estava submetida à servidão por dívida. Tais condições constam no artigo 149 do Código Penal Brasileiro como suficientes – mesmo que isoladas – para se configurar o crime de utilização de trabalho escravo. Continua. Fonte: Repórter Brasil

 

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Prêmio MPT de Jornalismo: Condições de trabalho levam policiais a stress e distúrbios psicológicos

Os distúrbios psicológicos causados pelas situações de estresse a que são expostos os policiais catarinenses é o tema desta reportagem finalista do Prêmio MPT de Jornalismo. Thiago Toscani, Dilnei Pacheco e Karen dos Santos mostram que em alguns casos, esses trabalhadores desenvolvem surtos, depressão e tentam o suicídio. As principais causas apontadas são as condições de trabalho e de renda, que sobrecarregam todos os profissionais de segurança pública. Confira:
http://ricmais.com.br/…/condicoes-de-trabalho-inadequadas-…/

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Termo de Ajuste de Conduta firmado com o MPT não pode ser alterado no Judiciário

De acordo com o artigo 876 e com o parágrafo 1º do artigo 879, ambos da CLT, o Judiciário pode apenas executar o Termo de Ajuste de Conduta – TAC, jamais alterar seus termos, pois ele é pactuado entre uma empresa e o Ministério Público do Trabalho, através da livre manifestação de vontade das partes envolvidas, sendo um título executivo extrajudicial.

Adotando esse entendimento, expresso do voto do desembargador Jorge Berg de Mendonça, a 6ª Turma do TRT mineiro manteve a decisão de 1º Grau que julgou improcedentes os embargos à execução opostos por uma empresa em ação de execução de Termo de Ajuste de Conduta, proposta pelo Ministério Público do Trabalho contra ela. A empresa executada interpôs agravo de petição alegando que tem canteiros de obras em todo o país, cada um com suas particularidades. Sustentou que o TAC resultou da inspeção feita pelo Ministério Público do Trabalho em canteiro de obra situado em Uberlândia, enquanto o descumprimento do pactuado foi verificado em sua matriz situada em Belo Horizonte, referente a seus empregados ali lotados. Continua. Fonte: TRT/3.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

“100 coisas que todo trabalhador deve saber” nº 93: previdência social

Já aqueles que não são registrados podem se filiar espontaneamente, como contribuintes individuais (caso dos trabalhadores autônomos e empresários) ou como contribuintes facultativos (caso dos estudantes, donas de casa, etc.).

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Prêmio MPT de Jornalismo: “Série especial mostra infância esquecida nos portos da Copa”

Na série de reportagens Cais do Abandono, Leilane Menezes, Helena Mader e Monique Renne mostram os desrespeitos sofridos por crianças e adolescentes em regiões portuárias brasileiras. A equipe percorreu oito mil quilômetros para mostrar o contraste entre os investimentos para a Copa do Mundo de 2014 nos portos e o descaso na área social. Mais um trabalho finalista do Prêmio MPT de Jornalismo:
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2014/04/13/interna_brasil,422816/serie-especial-de-reportagem-mostra-infancia-esquecida-nos-portos-da-copa.shtml

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Humor bibliotecário

Deixe um comentário

28/11/2014 · 9:00

“Gildeane Rodrigues”

calhamaco

Se há algo que assusta um leitor, mesmo os mais experientes, é um livro grande, daqueles que pelo tamanho já se impõem, ou pura e simplesmente: calhamaço. Não é que não tenhamos curiosidade de saber com que o autor preencheu as várias e várias laudas para formar aquele tijolo de papel, mas o fato é, mesmo para os cowboys mais dados a labuta da leitura, que um livro com mais de quatrocentas (ou quem sabe quinhentas?) páginas é, no mínimo, desafiador. Ao término dele – e dos dias que seguiram a leitura – o misto de felicidade e de tristeza é inevitável: felicidade por ter passado pelo calhamaço e estar vivo; tristeza por ter passado pelo calhamaço e saber que acabou, que o mundo criado pelo autor não nos trará nada de novo, que estamos órfãos.

Para tanto, decidimos elencar os dez maiores calhamaços da literatura. A tarefa é árdua e pesada, e provavelmente falha, mas aqui vai uma lista dos dez maiores livros da literatura mundial. Fonte: Homoliteratus

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Empreiteira de Belo Monte é processada em R$ 5 milhões por dano moral coletivo

Ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) contra a Norte Energia S/A e a Isolux Projetos e Instalações LTDA requer indenização de R$ 5 milhões por danos morais coletivos. Pede ainda a declaração de nulidade de contrato de prestação de serviços entre as duas empresas – que atuam nas obras de construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte (PA) – devido à existência de cláusulas que permitem terceirização de atividade-fim, prática considerada ilegal. Continua. Fonte: MPT.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias