Arquivo do dia: 10/05/2016

Obras da Vila olímpica foram embargadas por falta de segurança do trabalho

Vila dos Atletas do Rio-2016 já está quase concluída

Foto Vila dos Atletas do Rio-2016. Fonte: Estadão.

A revista Exame, a Band News, o G1 e o Estado de S. Paulo destacam o embargo de obras na Vila Olímpica, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A fiscalização foi feita pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS). A medida é resultado da Operação Aquecimento, realizada para vistoriar e constatar possíveis irregularidades em obras para os Jogos Olímpicos Rio 2016.  Segundo o superintendente regional do Trabalho, Robson Leite, o número de mortos nas construções tem assustado e preocupado a todos.  Até o momento, 11 pessoas morreram. Leia direto da fonte.  

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias gerais

Trabalhador atropelado quando atravessava para pegar transporte da empresa não será indenizado

De acordo com a Justiça do Trabalho da 12ª Região (SC), a culpa foi exclusivamente do empregado, na época com 16 anos, por não utilizar passagens subterrâneas de pedestres para chegar ao local de parada do ônibus.

Confira o caso: http://bit.ly/1WdQFEb Fonte: TST

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Repro – Revista de Processo nº 253 – março/2016

Repro 253Encontra-se disponível na Biblioteca do MPT/RN. Acesse o sumário.

Deixe um comentário

Arquivado em Sumário de Periódicos

‘Filhos do fogo’ trabalham em condições arcaicas nas caieiras do RN

A boca de pedra parece querer engolir tudo que se aproxima, mas nem seus 800 graus de calor afugentam os foguistas que se revezam na produção. Durante três dias e duas noites ininterruptas, às vezes mais, cerca de dez homens enchem de lenha a garganta da caieira até que ela arrote. Depois saem de perto e descansam.
Os foguistas enfrentam as labaredas pelo menos 140 vezes a cada turno de 12 horas para garantir a produção do óxido de cálcio, a cal, como conhecemos. Movimento repetitivo que não pode parar. Como a estrutura é arcaica, quase medieval, a fuga de calor intensa pode botar toda a produção a perder e o prejuízo para o industrial é imenso. Pior ainda para os trabalhadores que ficarão sem o dinheiro do salário.
Trabalhar na queima da cal é como ir ao inferno. De dia, com o calor do semiárido nordestino, a situação é ainda pior. Principiantes costumam desistir, dizem os mais velhos, mas depois voltam por não conseguirem outro emprego. Trabalhar neste ramo não é questão de se acostumar, mas de sobreviver.

Leia direto da fonte. Fonte: Novo Jornal

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Procurador afirma que terceirização precariza relação trabalhista

O portal Mossoró Hoje divulgou entrevista com o procurador do Trabalho Gleydson Gadelha. Ele comentou sobre Projeto de Lei nº 4.330/2004, conhecido como Projeto de Terceirização, que teve o texto principal aprovado no dia 8 de abril de 2015 na Câmara dos Deputados. Para Gadelha, a terceirização precariza as relações trabalhistas. Clique aqui.

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas