Arquivo do dia: 24/08/2015

‘Banca de Livro’ leva clássicos e lançamentos para áreas carentes no Rio

Bancas de jornal adesivadas ou grafitadas, com imagens coloridas de reproduções de capas de livros, começam a ser instaladas na cidade a partir do fim deste mês. Batizadas de “Bancas de Livros”, elas funcionarão como bibliotecas públicas: ficarão abertas diariamente para empréstimos gratuitos de títulos, e vão sediar eventos culturais, como oficinas de contadores de história. A primeira delas será inaugurada no Morro da Babilônia, no Leme, no dia 29, ao lado da associação de moradores. As outras quatro serão abertas até novembro, sempre em locais próximos a favelas ou a escolas públicas, como a Vila Olímpica da Mangueira, a Vila Olímpica de Vila Isabel e o Parque das Ruínas, em Santa Teresa. Outra unidade, em Laranjeiras, ainda terá o lugar definido. Segundo a produtora cultural Graça Gomes, idealizadora do projeto, o objetivo é dar a crianças e jovens de áreas carentes a oportunidade de ler clássicos e títulos da moda, como a série “Diário de um Banana”, de Jeff Kinney.

— A banca, pela aparência de algo do dia a dia, acaba atraindo a atenção dos jovens. E o projeto tem o objetivo de captar essas pessoas e levá-las para a leitura, formando novos leitores — explica Graça, que viabilizou o projeto pelo Programa de Fomento à Cultura Carioca, da Secretaria municipal de Cultura.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/banca-de-livro-leva-classicos-lancamentos-para-areas-carentes-17205865#ixzz3jkIqgbg1
© 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Sindicatos ainda funcionam no Brasil? (Programa Participação Popular). Assista.

No Brasil existem mais de 10 mil sindicatos, que movimentam cerca de R$ 3 bilhões por ano apenas com a contribuição sindical, o que equivale a um dia de salário de cada trabalhador sindicalizado. Apesar de os sindicatos arrecadarem muito, os trabalhadores geralmente têm dificuldade de acompanhar como o dinheiro é utilizado. O Ministério do Trabalho e a Caixa Econômica Federal não revelam quanto cada sindicato recebe.

Criados ainda na era Vargas, os sindicatos representaram um grande avanço na luta trabalhista, mas, ao longo dos anos, os problemas envolvendo essas organizações também se multiplicaram. Falta de transparência e criação de monopólios regionais são algumas das reclamações apresentadas pelos sindicalizados. Muitas categorias acusam os sindicatos de terem se tornado uma caixa-preta. Esse é o tema do Participação Popular desta semana.

Os convidados do programa são o procurador do trabalho e coordenador Nacional de Liberdade Sindical (Conalis), Francisco Gerson Marques de Lima; o presidente da Força Sindical do DF e do Sindicato dos Trabalhadores de Postos de Gasolina do DF, Carlos Alves dos Santos.

A deputada Erika Kokay (PT-DF) participa do programa por telefone e o presidente do Sindicato dos Bancários do DF, Eduardo Araújo, concede entrevista ao vivo direto de um shopping localizado na área central de Brasília. Assista ao vídeo.

Deixe um comentário

Arquivado em Fotos, audios e vídeos

Migrações e trabalho no Brasil: fatores étnico-nacionais e raciais

Resumo: O objetivo central deste texto é identificar quais grupos minoritários de migrantes estão em maior desvantagem no mercado de trabalho brasileiro, quando comparados ao grupo “majoritário”. Os resultados mostram que, ante este grupo, as desvantagens dos brasileiros negros em relação aos brasileiros brancos são menores do que as desvantagens encontradas para bolivianos, paraguaios, peruanos e uruguaios. Porém, quando se faz uma análise regional, o impacto negativo de cor/raça é mais forte em São Paulo e no Amazonas. O contrário ocorre para os estados do Paraná e do Rio Grande do Sul, onde o efeito negativo é maior para os grupos étnicos/nacionais de paraguaios e uruguaios, respectivamente.

por: Elaine Meire Vilela, Ana Cristina Murta Collares, Cláudia Lima Ayer de Noronha

 Fonte: Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 30, n. 87, p. 19-42, fev. 2015.

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Ri Happy é condenada em R$ 1 mi por excesso de jornada

A loja de brinquedos Ri Happy foi condenada em R$ 1 milhão por submeter funcionários a jornadas excessivas. A decisão da juíza Érica de Oliveira Angoti, da 7ª Vara do Trabalho de Brasília, é válida para todo o país e também proíbe a empresa de prorrogar a jornada além dos limites e das condições previstas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A ação civil pública foi ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal (MPT-DF).

De acordo com denúncia de funcionários, não eram registradas as horas extras nos cartões de ponto e muitas vezes a jornada de trabalho ia madrugada adentro nos períodos datas festivas como em outubro e dezembro. Além disso, a Ri Happy não concedia intervalos para descanso conforme a legislação. Continua. Fonte: PGT.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Aplicativo do TST reúne notícias em texto, áudio e vídeo

Já está disponível para download o TST App, aplicativo de notícias do Tribunal Superior do Trabalho. Com conteúdo multimídia, o aplicativo facilita o acesso a todas as notícias produzidas pela Corte, em texto, áudio ou vídeo.

É possível acompanhar todas as notícias do site, ouvir os boletins e programas de rádio (Trabalho e Justiça), assistir às reportagens e aos programas de TV do Tribunal (Revista TST e Jornada), além de interagir pelas redes sociais (Facebook e Twitter).

Para baixar o aplicativo, que é gratuito, basta digitar APP.VC/APLICATIVOTST no browser de internet do telefone celular ou do tablet, clicar no botão de instalação e seguir os comandos. Veja o vídeo com instruções aqui.

A novidade funciona nas plataformas operacionais Windows, Android e IOS. Em alguns aparelhos, no entanto, pode ser necessário desabilitar eventuais bloqueios a aplicativos que não sejam do Google Play. O TST App está instalado em um servidor livre e gratuito de criação de aplicativos. Em breve, deve ser disponibilizado para download nas principais lojas virtuais.

(CRTV/Secom/TST)

1 comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Trabalhadores domésticos: ‘a cada dez rescisões de contrato, três resultam em agressão física por parte do empregador’

Trabalhadores domésticos: ‘a cada dez rescisões de contrato, três resultam em agressão física por parte do empregador’
Os empregados em serviços domésticos representam 6,5% dos trabalhadores ativos do país. Apesar dos avanços conquistados pela categoria, cerca de dois terços deles não possuem carteira assinada.

No início de junho, a presidenta Dilma Rousseff sancionou a lei complementar 150/2015, que regulamenta a chamada “PEC das Domésticas”. Essa Proposta de Emenda Constitucional havia sido aprovada pelo Congresso Nacional em abril de 2013, mas muitos direitos ainda precisavam ser regulamentados para entrar em vigor. Continua. Fonte: Direito e Mundo do Trabalho em Debate.

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Vale pagará R$ 3 mihõe por descumprir acordo para a construção de centro cultural

A mineradora Vale S.A. pagará multa de R$ 3 milhões por descumprir acordo firmado com o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Marabá (PA) para a construção do Centro Cultural de Parauapebas (PA), como indenização por danos morais coletivos. A conciliação encerrou ação ajuizada contra a companhia e outras 42 empresas terceirizadas, em 2008, pela falta de pagamento do tempo gasto pelos funcionários no percurso de ida e volta ao local de trabalho – horas in itineres. O direito é garantido a trabalhadores que executam atividades em local de difícil acesso, sem transporte público, com condução fornecida pelo empregador. Continua. Fonte: PGT.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias gerais

TRT-RN na TV: “Justiça & Trabalho” analisa o mercado de trabalho na exploração de petróleo no RN

O mercado de trabalho, a pauta de discussões do movimento sindical e o atual cenário do mundo do trabalho na exploração de petróleo no RN, são assuntos analisados, no programa desta semana, por José Araújo, coordenador-geral do Sindicato dos Petroleiros do RN.

O programa mostra também informes das atividades administrativas e judiciárias do TRT-RN.

No “Meu Trabalho, Minha arte”, o telespectador fica conhecendo as atividades e o dia a dia do luthier, com o profissional Wilson Gomes.

Encerrando, no “Profissão artista”, o cantor e compositor Luciano Queiroz fala sobre sua história com a música, e ao final canta uma de suas canções.

O programa “Justiça & Trabalho” é produzido pela Seção de Comunicação Social do TRT-RN e pode ser visto semanalmente na TV Assembléia/RN, em Natal, às segundas (21h) e terças (18h), no canal aberto (50 UHF) e na TV a Cabo (canal 9).

A TV MIX Brasil apresenta o Justiça & Trabalho em três horários: segunda (13h30), quarta (22h00) e sexta (13h30), aos sábados e domingos (17h30) e pode ser sintonizada em Natal, na Cabo TV (Canal 28 e 128 digital) e no Canal 27 da NET Natal.

Na TV Potiguar, o programa pode ser visto nas segundas-feiras, a partir das 13h, e nas quintas, às 21h, no Canal 23 (Cabo Telecom) ou 133 (Cabo Digital).

Em Mossoró, o Justiça & Trabalho é exibido pela TV Mossoró, as quartas (21h30) e aos sábados (14h30).

A Justiça & Trabalho também é transmitido para todo Brasil pela TV Justiça, aos domingos (6h30) e as segundas (7h30).

A TV Justiça pode ser sintonizada em Natal nos canais ACOM (canal 26) e Cabo serviços (canais 33 e 140).

Fonte: Ascom – TRT/21ª Região

Deixe um comentário

Arquivado em Fotos, audios e vídeos

NJ Especial: As redes sociais entram no processo

Imagine a situação: O reclamante falta ao serviço dizendo ao patrão que a filha está doente, mas uma foto no Facebook mostra que está em uma reunião festiva, dentro de uma piscina. Em outra ocasião, alega estar doente, mas uma foto em sua página indica estar em uma festa de casamento, inclusive ingerindo bebida alcoólica.

Pois foi o que aconteceu em um caso analisado pela 6ª Turma do TRT de Minas. As informações, retiradas da rede social Facebook, foram apresentadas juntamente com a defesa da empresa do ramo de bioenergia para provar que a justa causa era devida. A ré sustentou que a penalidade decorreu de falta injustificada precedida de histórico de mau comportamento e de diversas outras ausências ao trabalho sem motivo justo ou aviso prévio. Segundo ela, todas devidamente repreendidas através de advertências e suspensão. Continua. Fonte: TRT/3.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Humor Bibliotecário

Fonte: Bibliocomics

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência da Informação: Biblioteconomia e arquivologia