Arquivo do dia: 20/10/2014

Livro digital e bibliotecas

Por FGV Editora.

O trabalho do bibliotecário em proporcionar o encontro entre livro e leitor se transforma de forma definitiva. Com a modernização e a facilidade de acesso à informação os processos que estavam estabelecidos se alteram.

Os bibliotecários se deparam com desafios sobre aplicação de novos modelos de negócio para licenciamento de conteúdo, empréstimo de livros digitais e privacidade dos usuários.
A expectativa dos leitores, a biblioteca do futuro, a alteração da forma física da documentação e os impactos no consumo causados pelas transformações na forma de acesso à leitura são temas atuais e de grande repercussão na estrutura das tradicionais bibliotecas.

Além de todo o avanço tecnológico que essas instituições vêm providenciando na disponibilização de seus acervos, uma outra necessidade deve ser considerada: a atuação profissional do bibliotecário.

Esse ‘novo’ profissional deve alterar sua forma de atuação, priorizando o serviço prestado e a atividade desempenhada, utilizando as disciplinas técnicas como meio e não como atividade-fim da profissão, tornando o espaço da biblioteca um local convidativo de conhecimento, crescimento e troca. O local da biblioteca também deve ser repensado como um ambiente que seja atrativo ao usuário, que permita interação alinhada com liberdade, não sendo apenas um espaço de troca e aprendizado, mas uma opção de lazer, repleto de oportunidades de descobertas e conhecimento. É nesse cenário de tantas mudanças que Liliana Giusti Serra lança a obra Livro digital e bibliotecas.

Confira à entrevista com a autora. Fonte: Biblioo.

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência da Informação: Biblioteconomia e arquivologia

Descontos salariais por multas de trânsito exigem prova de culpa ou dolo do empregado

O artigo 462 da CLT prevê hipóteses restritas de descontos salariais. Uma delas, disposta no parágrafo 1º, abre ao empregador a possibilidade de realizar descontos por danos causados pelo trabalhador. Mas, para isso, é preciso que haja ajuste expresso no contrato ou que o empregado tenha agido com dolo (intenção de lesar). E, para cobrar o prejuízo diretamente no salário, o empregador deve provar que o empregado agiu com culpa ou dolo. Caso contrário, o desconto é considerado ilegal. Continua. Fonte: TRT/3.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Empresa deverá pagar comissões a vendedor que teve vendas canceladas por falta do produto em estoque

Se o empregado concretiza a venda de um produto e este não é entregue ao cliente por culpa do empregador, ainda assim ele terá direito à comissão sobre essa transação. Foi esse o entendimento adotado pela 4ª Turma do TRT-MG, ao dar provimento ao recurso do reclamante para condenar uma indústria de bebidas ao pagamento de diferenças de comissões, em razão do cancelamento das vendas por falta do produto para entrega. Continua. Fonte: TRT/3.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Revista dos Tribunais nº 948 – out/2014

Encontra-se disponível na Biblioteca do MPT/RN. Veja sumário.

RT 9480001

Deixe um comentário

Arquivado em Sumário de Periódicos

Projeto impede ações trabalhistas para rediscutir pontos de rescisão contratual

A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 7549/14, da deputada Gorete Pereira (PR-CE), que impede o trabalhador de ir à Justiça reclamar por indenizações que tenham sido objeto de homologação da rescisão contratual. Hoje, não existe esse impedimento. Continua. Fonte: Ag. Câmara.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias legislativas

Metas de produtividade: Santander é condenado por assédio moral a funcionário

Reuters /Santander

O Banco Santander (Brasil) S/A foi condenado nesta sexta-feira (17), pela Justiça do Trabalho, ao pagamento de indenização por danos morais, pensão e custeio de tratamento de saúde e odontológico a um ex-bancário que sofreu humilhações e assédio moral diante dos colegas de trabalho.

A decisão é da 5ª Vara do Trabalho de Porto Velho e a reclamada terá 30 dias para comprovar recolhimento das contribuições previdenciárias, sob pena de multa diária em R$ 200 por dia até o limite de R$ 60 mil.

De acordo com a sentença do juiz do trabalho substituto Jobel Amorim das Virgens Filho, “a conduta de produzir sofrimento e lesão à autoestima das pessoas, é totalmente repudiada no ambiente do trabalho e na vida em sociedade”. Continua. Fonte: IG.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

A precarização do trabalho das revendedoras de cosméticos

A Folha de S. Paulo de sábado (18) trouxe entrevista com autora de estudo sobre a precariedade do trabalho de revendedoras de cosméticos. A cientista social Ludmila Abílio foca o caso da Natura e mostra o crescimento exponencial desse mercado. “A perda de limites do trabalho vai permeando nossa vida, nosso tempo livre”, afirmou. “No sistema de venda direta não há vínculo empregatício, horário e local de trabalho. Essa ocupação se mistura com o próprio consumo. Como revendedora da Natura se ganha 30% de desconto, que é a comissão. Há mecanismos que acabam enredando a consumidora em busca de desconto com a revenda. Mais itens são comprados, começa a revenda, sem que isso tenha cara de trabalho”. Leia direto da fonte

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Revista Zênite – Informativo de Licitações e Contratos nº 248 – out/14

Encontra-se disponível na Biblioteca do MPT/RN. Veja sumário.

Zênite 2480001

Deixe um comentário

Arquivado em Sumário de Periódicos

“100 coisas que todo trabalhador deve saber” nº 53: licença paternidade

A licença-paternidade de 5 (cinco) dias foi concedida pela Constituição Federal/88 em seu artigo 7º, XIX e art. 10, § 1º, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias – ADCT

Deixe um comentário

20/10/2014 · 9:30

Humor Bibliotecário

Deixe um comentário

20/10/2014 · 9:00