Arquivo do dia: 28/10/2013

Sesc/RN debate hábitos de leitura e escrita durante Semana Nacional do Livro e da Biblioteca

Ciclo de atividades e palestras teve início hoje e prossegue até a próxima sexta-feira.

Com o objetivo de estimular a reflexão sobre os novos hábitos da leitura e da escrita diante do espaço cibernético, o Serviço Social do Comércio (Sesc/RN) comemora a Semana Nacional do Livro e da Biblioteca decifrando as linguagens e apreciações das mídias sociais. Segundo a bibliotecária e coordenadora da Rede Sesc de Bibliotecas, Denise Tavares, o universo da comunicação virtual acaba prendendo atenção de jovens e crianças, mas é possível adequar os antigos e novos hábitos trabalhados nas ferramentas digitais.

“Fizemos uma leitura mais atualizada da internet, das mídias sociais e de como as pessoas utilizam o espaço cibernético, e aproveitamos esse momento para discutir os novos hábitos de leitura e escrita”, explicou Denise. Nesta segunda-feira (28), o evento contou com uma programação especial, através da realização da palestra “Seja ONE line”, ministrada pela jornalista Érika Zuza.

Durante toda esta semana, o Sesc Restaurante, localizado no centro da cidade, apresentará diversas exposições, com temas voltados para leituras, mídias sociais e utilização da internet, além de painéis sobre a interatividade do Twitter e a “Twitteratura”. O espaço ainda disponibilizará filmes na sala de cinema e espaço para troca de livros.  Os usuários e colaboradores do Sesc que mais leram em 2013 serão homenageados durante o evento, com o recebimento de kits simbólicos. Continua na fonte: Jornal de Hoje. Confira a programação da Semana do Livro e da Biblioteca e da  BiblioSesc.

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência da Informação: Biblioteconomia e arquivologia, Literatura, Livros, Língua Portuguesa

Assista “Correio Feminino”, crônicas de Helen Palmer (Clarice Lispector)

Episódio 1 - Aulinha de sedução

Clique aqui para assistir ao episódio 1 do especial “Correio Feminino“, produzido pelo Fantástico com texto retirado de uma coluna feminina escrita por Clarice Lispector,  sob o pseudônimo de Helen Palmer, em um jornal na década de 5o.  Neste episódio, Helen Palmer dá aulas de sedução para as mulheres.

Clique aqui para assistir a todos os episódios e ouvir as músicas da série. Fonte: TvGlobo/Fantástico.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa

No dia do servidor público, nossa homenagem aos colaboradores deste MPT/RN

servidores do mpt.rn 3Clique aqui para ver a imagem ampliada.

Neste 28 de outubro, dia do servidor público, nossa homenagem aos servidores do MPT/RN: aqueles que se dedicam para construir uma Instituição melhor e mais eficiente na defesa dos direitos dos trabalhadores potiguares!

Parabéns pelo seu dia!

2 Comentários

Arquivado em Diversos

Empregador tem de pagar dano moral se quebrar promessa de emprego

É dano moral indenizável a frustração experimentada pelo candidato que não conseguiu o emprego, depois de ter preenchido todos os requisitos e já com os documentos e atestados prontos para a assinatura do contrato de trabalho. Com esse entendimento, a 5ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul reformou sentença para reconhecer dano moral numa admissão ”abortada”, ocorrida em São Jerônimo. Fonte: Conjur.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Contrato por experiência de trabalhador que prestou serviço terceirizado não é reconhecido

O Tribunal Superior do Trabalho não reconheceu contrato por experiência de maçariqueiro (operador de maçarico, instrumento de solda ou corte de metal)) que anteriormente prestou serviço terceirizado na mesma empresa. Com o contrato de experiência de 90 dias, a Trufer Comercio de Sucatas Ltda. tentava se livrar da estabilidade de um ano prevista em lei para o empregado, vítima de acidente de trabalho com 86 dias de contrato.

Para o ministro João Batista Brito Pereira, relator na SDI-1, o fato do empregado ter trabalhado para a Trufer através de uma empresa de serviço temporário inviabiliza a sua contratação logo em seguido por experiência. De acordo com o relator, o contrato de experiência, que não dá direito à estabilidade no caso de acidente de trabalho, existe devido à necessidade de um prazo para empresa testar e avaliar as aptidões e qualificações do empregado. O que não seria o caso, pois isso já era conhecido pelo serviço temporário anterior. “Mesmo o fato de a prestação temporária ter ocorrida apenas por 47 dias não afasta a conclusão de que foi inválida a subsequente contratação a título de experiência”, concluiu ele. Continua na fonte: TST.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Trabalhadores são resgatados da escravidão em obra de fábrica da Ambev em Minas Gerais

Aliciadas no Nordeste e levadas a Uberlândia (MG), vítimas tiveram carteiras de trabalho retidas e sofriam constantes ameaças e agressões dos seus superiores, que portavam armas

Armas usadas para ameaçar vítimas (Foto: MTE)Armas usadas para ameaçar vítimas. Foto: MTE

Auditores fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), procuradores do Ministério Público do Trabalho (MPT) e agentes da Polícia Militar de Minas Gerais (PM) libertaram 21 trabalhadores da obra de construção de uma fábrica da produtora de bebidas Ambev em Uberlândia, município do sudoeste mineiro. A operação aconteceu na madrugada de 18 de outubro. Uma pessoa foi detida.

A fiscalização foi feita no alojamento onde os 21 pedreiros e serventes dormiam. Na mesma casa também estavam alojados dois superiores dos trabalhadores. Um deles chegou a ser preso pela PM por porte ilegal de armas, mas foi liberado depois de pagar fiança. De acordo com as vítimas, o homem detido e outro encarregado da obra os ameaçavam constantemente. O primeiro mantinha um revólver o tempo todo preso à sua cintura e o segundo usava uma faca para assustar os trabalhadores. Eles chegaram a agredir as vítimas com socos.

Os trabalhadores foram aliciados por um funcionário da RRA, empresa terceirizada pela Marco Projetos e Construções, responsável pela obra. Eles vieram do Piauí, de Pernambuco e da Bahia há pouco mais de um mês, mas não tinham recebido nenhum salário. Segundo o procurador do trabalho Paulo Gonçalves Veloso, que acompanhou o resgate, havia restrição à “manifestação de vontade” dos trabalhadores. “Eles ficavam com receio de cobrar salário porque eram agredidos”, disse. Além de não receberem salário, as vítimas tiveram retidas suas carteiras de trabalho pela empresa. Continua na fonte: Repórter Brasil.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Humor Bibliotecário

Deixe um comentário

28/10/2013 · 9:00