Arquivo do dia: 07/05/2013

Sete motivos para viver entre livros

Por Danilo Venticinque, Revista Época

Poucas compulsões de consumo são tão bem vistas socialmente quanto o desejo de acumular livros. Ao contrário dos admiradores de sapatos, perucas, miniaturas ou outros bens de consumo supostamente fúteis, que são forçados a dedicar-se a suas paixões de forma quase clandestina para escapar do julgamento alheio, fãs de livros podem disfarçar seu descontrole consumista como uma implacável sede de conhecimento. O advento dos livros digitais tornou a vida do aspirante a bibliófilo ainda mais fácil. Se antes era necessário enfrentar as barreiras do espaço, hoje uma biblioteca de dezenas de milhares de exemplares cabe no bolso de qualquer paletó, ou mesmo num celular. Um cartão de memória do tamanho da unha de um dedão pode armazenar mais de trinta mil livros – um acervo equivalente feito de papel exigiria um apartamento inteiro para abrigá-lo. O custo também deixou de ser um empecilho. É possível encontrar uma infinidade de obras disponíveis gratuitamente na internet, em domínio público, e o preço dos exemplares novos, sobretudo os importados, é um convite à compra por impulso.

A escolha entre os livros físicos e os digitais é uma questão de gosto, e um detalhe irrelevante diante da meta de formar a biblioteca ideal. Na busca por esse objetivo, tanto os fanáticos por tecnologia quanto os fetichistas do papel têm de se render aos ensinamentos dos grandes colecionadores do passado. O tradutor e editor francês Jacques Bonnet, dono de um acervo de mais de quarenta mil volumes, é uma das maiores autoridades no assunto. Sua coletânea de ensaios Fantasmas na biblioteca (Civilização Brasileira, 160 páginas, R$ 29,90), recém-lançada no Brasil, reúne nove textos sobre seu amor pelos livros. Qualquer comprador compulsivo de literatura deveria fazer o enorme sacrifício de acrescentá-la a sua coleção. Com base nos ensaios de Bonnet, elaborei uma lista com suas sete principais razões para viver entre livros. Elas valem tanto para quem já se dedica à formação da biblioteca perfeita quanto para apenas gosta de livros, e estava à procura de uma desculpa para transformar seu apreço em loucura.

Clique aqui e conheça os 7 motivos. Fonte: Revista Época.

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência da Informação: Biblioteconomia e arquivologia

Membro de conselho fiscal não tem estabilidade garantida a dirigente sindical

A Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho reiterou entendimento no sentido de que os membros de conselhos fiscais de sindicatos não detêm a estabilidade garantida ao dirigente sindical nos artigos 543, parágrafo 3º, da CLT, e 8º, inciso VIII, da Constituição Federal. A decisão unânime que negou provimento ao recurso de empregado dispensado da Atende Bem – Soluções Atendimento Informação Comunicação e Informática Ltda. manteve entendimento do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS).

No caso julgado, o empregado, eleito para o cargo de secretário do conselho fiscal do Sindicato dos Trabalhadores de Telemarketing e Rádio Chamadas do Estado do Rio Grande do Sul (Sintratel/RS), pedia anulação de sua dispensa com o argumento de que, à época da dispensa, detinha estabilidade de dirigente sindical. A Atende Bem, em sua defesa, alegou que o Sintratel não possuía registro perante o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e, portanto, o empregado demitido não detinha a alegada estabilidade, que lhe garantiria a permanência no trabalho. (continua) Fonte: TST

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Empregados da indústria da carne terão cartilha com normas de trabalho

Cerca de 500 mil trabalhadores da indústria da carne no Brasil devem receber, ainda neste mês, uma cartilha destinada a facilitar o cumprimento da Norma Reguladora número 36 (NR-36), assinada em abril pelo ministro do Trabalho, Manoel Dias. A NR-36 regulamenta as condições de trabalho em áreas de abate e de processamento de carnes e seus derivados.

Um pleito dos trabalhadores atendido pela norma são as pausas no exercício da atividade. A cada 50 minutos de trabalho que envolva esforço repetitivo, os trabalhadores deverão parar durante dez minutos para descanso. “Isso é importante porque a doença que vem atingindo mais os trabalhadores, além do acidente do trabalho, é a lordose (que afeta a coluna), causada pelo esforço repetitivo”, disse à Agência Brasil o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins), Artur Bueno.

Segundo ele, na área de frigoríficos e abatedouros, a confederação tem enfrentado muitos problemas de ocorrência de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. Isso provocou uma mobilização do setor pela construção da norma. O movimento teve início em 2004 e culminou na implantação do Grupo de Estudo Tripartite, em 2011, constituído por representantes do governo, das empresas e dos trabalhadores, que desenvolveu o texto técnico da norma. (continua) Fonte: Correio Braziense

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias gerais

Artigos: Condições de vida, saúde e trabalho dos profissionais de segurança pública

Os artigos do número temático v.18, n.3 da Revista Ciência & Saúde Coletiva tratam das condições de vida, saúde e trabalho dos trabalhadores da segurança pública e mostram que eles constituem, no Brasil, o grupo de maior risco para a morte violenta e para lesões e traumas relacionados a agressões. São também um grupo de elevada vulnerabilidade a determinados tipos de doenças físicas como enfermidades cardiovasculares, distúrbios de metabolismo, problemas osteomusculares e gastrointestinais. No campo da saúde mental, os policiais são vítimas frequentes de estresse ocupacional e pós-traumático e depressões, levando um percentual significativo deles a pensar em se matar. (continua) Por: Maria Cecília de Souza Minayo. Fonte: Scielo Press Release

Acesse o fascículo e baixe os artigos na íntegra Ciênc. saúde coletiva vol.18 no.3 Rio de Janeiro Mar. 2013

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Cotas e justiça racial: de que lado você está? (Luís Roberto Barroso)

Por Luís Roberto Barroso

Participei na semana passada, na Universidade de Harvard, de uma banca de doutorado de tese que discutia o tema das ações afirmativas no Brasil: Racial Justice in Brazil: Struggles over Equality in Times of New Constitutionalism (“Justiça Racial no Brasil: A Luta por Igualdade em Tempos de Novo Constitucionalismo”), de autoria de Adílson Moreira. O autor já era doutor no Brasil e vive nos Estados Unidos há mais de sete anos. Um belo trabalho, com uma crítica sensível e equilibrada ao discurso oficial brasileiro (“o humanismo racial brasileiro”) de que não há racismo entre nós.

O discurso de que somos uma sociedade miscigenada e de que não existe relação entre a cor da pele e o sucesso econômico e profissional. As desigualdades seriam fruto de preconceitos e discriminações sócio-econômicas, não raciais. Após desconstruir essa maneira romântica e irreal como costumávamos pensar sobre nós mesmos, o trabalho conclui que as ações afirmativas são decisivas para colocar fim, em algum lugar do futuro, na posição de subordinação e inferioridade das pessoas que têm a cor da pele mais escura.

Ações afirmativas são políticas públicas que procuram dar uma vantagem competitiva a determinados grupos, como forma de reparação de injustiças históricas. Também contribuem para criar histórias de sucesso que possam funcionar como símbolo e motivação para os grupos desfavorecidos. Cotas raciais em universidades são uma espécie de ação afirmativa. Essa não é, porém, a única forma de realizar o objetivo de inclusão. E, possivelmente, nem é a melhor. Incentivos e ensino de qualidade na primeira infância, por exemplo, são alternativas mais eficientes no longo prazo. (continua) Fonte: Conjur

Deixe um comentário

Arquivado em Artigos e entrevistas

Dow Brasil pagará R$ 1 milhão a herdeiros de trabalhador morto em explosão de caldeira

Culpada por omissão
A Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho manteve por unanimidade decisão que condenou a Dow Brasil S.A. a pagar R$ 1 milhão, a título de indenização por danos morais, aos herdeiros de um técnico de operações morto na explosão de uma caldeira. No momento do acidente, ocasionado por superaquecimento a 780°C, a caldeira continha 22 toneladas de água e vapor.

A decisão entendeu caracterizada, além da atividade de risco, a culpa da empresa por omissão, que decorreu da não observância do dever geral de cautela ao deixar de orientar corretamente os empregados. Cabia a ela o cumprimento de normas técnicas de segurança de trabalho, com o objetivo de evitar a ocorrência de acidentes no ambiente de trabalho. (continua) Fonte: TST

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias jurisprudenciais

Presidente da CDH defende PEC que expropria terras onde há trabalho escravo

A presidente da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), senadora Ana Rita (PT-ES), defendeu a aprovação urgente da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 57A/1999, que tramita há 14 anos no Congresso Nacional. Ela mencionou o assunto durante a audiência pública realizada nesta segunda-feira (6) sobre trabalho escravo na Subcomissão Permanente para Enfrentamento do Tráfico Nacional e Internacional de Pessoas e Combate ao Trabalho Escravo.

A proposta determina a expropriação de propriedades urbanas e rurais onde seja identificada a exploração do trabalho escravo. Para a senadora, a proposta não avançou ainda devido a “pressões” dos que não querem sua aprovação. Ana Rita informou que o relator, senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), fez um relatório favorável, mas agora aguarda para fazer modificações no texto. (continua) Fonte: Ag. Senado

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias legislativas

Auditores do Trabalho e OIT lançam programa de reinserção de vítimas de trabalho escravo

Uma experiência bem sucedida de reinserção social e profissional de vítimas de trabalho análogo à escravidão em Mato Grosso vai ser expandida para todo o país. O objetivo do Movimento Ação Integrada é identificar trabalhadores em risco, oferecer a eles cursos de qualificação profissional e os encaminhar ao mercado de trabalho.

O projeto nacional foi lançado hoje (6), pelo Sindicato Nacional dos Auditores do Trabalho (Sinait) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), na Subcomissão do Tráfico de Pessoas e Combate ao Trabalho Escravo do Senado.

Em Mato Grosso, onde o projeto começou há quatro anos, 302 trabalhadores foram beneficiados. Lá, 92% deles foram aprovados em cursos de qualificação e escolarização. Entre os trabalhadores que concluíram os cursos, 7 em cada 10 conseguiram empregos formais em 2011. (continua) Fonte: Repórter Brasil

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias gerais

Videochat debate a regulamentação dos direitos do trabalhador doméstico nesta 3ª

A Coordenação de Participação Popular da Câmara vai promover um videochat pela internet na próxima terça-feira (7), das 11 horas ao meio-dia, para que os cidadãos possam debater a regulamentação dos novos direitos do trabalhador doméstico.  O presidente da comissão mista que cuida da regulamentação, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), responderá as perguntas dos internautas.

Para participar do videochat, acesse o link que estará disponível no horário do bate-papo no portal Câmara Notícias. (continua) Fonte: Ag. Câmara

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias legislativas

(In)segurança do trabalho (127)

Foto da galeria Vote na Imagem da Edição 258 - Junho/2013Sem cintos e talabartes e nenhum ponto de ancoragem, trabalhadores realizaram a manutenção de um outdoor a uma altura aproximada de 6 metros sobre um andaime, mostrando que a NR 35 ainda não foi incorporada na cultura de prevenção. Revista Proteção

Deixe um comentário

Arquivado em (in)segurança no trabalho

A primeira biblioteca verde da América Latina é no Rio

Espaço cultural, que reabrirá em setembro na Avenida Presidente Vargas, no Centro, será abastecido por usina de energia solar, captada por 162 painéis no teto

Cariocas que amam leitura poderão, a partir de setembro, desfrutar de um espaço que os deixará ainda mais conscientes, inclusive do ponto de vista ambiental. Em obras desde 2008, a Biblioteca Estadual do Rio de Janeiro, na Avenida Presidente Vargas, no Centro, reabrirá suas portas como o primeiro espaço cultural da América Latina a ser abastecido por uma usina de energia solar, que vai reduzir o consumo do local em 30%.

Estruturada na cobertura do prédio, a usina fotovoltáica tem 162 placas que, através de 6 conversores, transformam a energia do sol em elétrica. Com isso, a biblioteca alcançará um patamar de eficiência energética suficiente para concorrer ao Selo de Ouro do LEED (Liderança em Energia e Design Ambiental) — a mais alta qualificação para edifícios sustentáveis. (continua) Fonte: O Dia

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência da Informação: Biblioteconomia e arquivologia

Livro = alimento

Fonte: Livros Difíceis

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa