Arquivo do dia: 21/04/2013

Millôr Fernandes: arauto da República de Ipanema

A obra do “homem de imprensa” Millôr Fernandes refletiu a sociedade e a política nacionais pelos séculos XX e XXI a partir da idealização do bairro onde viveu e morreu

Foto: Tania Rego/ABr AgenciaBrasilFoto: Tania Rego/ABr AgenciaBrasilO jornalista Millôr Fernandes (1923-2012) disse certa vez em uma entrevista: “eu não vivo no Brasil, eu vivo no Rio de Janeiro”. Isso não quer dizer, porém, que ele era um homem provinciano. Ao contrário. Demonstra apenas que ele enxergava no Rio uma representação em escala menor do Brasil, assim como via em Ipanema uma versão diminuta da “cidade maravilhosa”. Suas crônicas não apenas espelhavam o cotidiano do Rio de Janeiro, como também as discussões sobre a política, a economia e a cultura nacionais.Com seus textos, Millôr ajudou a construir e a divulgar o “modo de ser carioca” para fora do bairro, da cidade e do país.

Existem algumas particularidades entre as narrativas cotidianas deste dramaturgo, tradutor, cartunista, cronista e roteirista, que preferia ser identificado como jornalista, ou melhor, como homem da imprensa, e a narrativa histórica organizada pelo historiador. Segundo Millôr, “a imprensa é a voz de hoje, herdeira e guarda das informações de ontem, prenunciadora e formadora dos acontecimentos de amanhã, antecipa a História, pois é aí que a História vai buscar a maior parte de seus dados – e eis por que a História é cada vez mais confusa, mentirosa e/ou tola”. (continua) Fonte: Revista de História

Deixe um comentário

Arquivado em Literatura, Livros, Língua Portuguesa