Arquivo do dia: 24/03/2013

18 livros grátis que você precisa ler antes de morrer

baixe-gratis-poema-navio-negreiro-castro-alves-noticiasConfira uma lista com os clássicos que não podem ficar de fora das suas leituras mesmo que você tenha um estilo muito pessoal. Clássicos como Machado de Assis e Franz Kafka estão no ranking. Confira aqui uma lista com os principais títulos que você precisa ler antes de morrer. Fonte: Canal do Ensino

1 comentário

Arquivado em Notícias

Livre-se dos livros antes de morrer

Por Moreno Barros

Moreno Barros - Livre-se dos livros antes de morrer - imagem2Como bibliotecário, eu sou a primeira pessoa consultada pelos amigos e familiares quando eles têm alguma dúvida ou problema relacionado à livros.

Uma das questões mais interessantes e desafiantes que surgiram na minha vida de bibliotecário foi o que fazer com a enorme quantidade de livros do vovô Mario, depois que ele faleceu. Nada pode pesar mais para um herdeiro bibliotecário do que ter que lidar com a biblioteca de um ente querido.

(…)

Qualquer livro que permaneceu após os três processos de triagem realizados foi destinado à biblioteca pública estadual, até que percebemos que enviar como doação os livros que haviam passado por extenso processo seletivo seria simplesmente passar pra frente o fardo do descarte para outros bibliotecários e fazer com que perdessem seu tempo. Então começamos a colocá-los em grandes sacos de lixo (daqueles de 100 litros, pretos, pra que ninguém descobrisse o que havia dentro) e atiramos fora.

Como assim? Bibliotecários jogando livros no lixo?

Sim, exatamente isso, e não me senti nem um pouco culpado. Isso foi bem na época que milhares de livros foram encontrados em um lixão no interior de Goiás, o que significava que a mídia e muitas pessoas cultas estavam prestando atenção nas bibliotecas para qualquer sinal anti-livro – daí a razão dos sacos pretos para minimizar os olhares dos X-9.

Compreendo perfeitamente as ansiedades de qualquer amante dos livros, mas a menos que você já tenha trabalhado em bibliotecas e sido esmagado pela massa absurda do texto em papel, você não sabe nada sobre o gerenciamento de quantidades maciças de livros.

O grupo de bibliotecários que participou da empreitada acabou sendo apelidado de esquadrão da morte. Um nome mórbido demais para identificar os carrascos que fizeram o que os outros não tiveram coragem de fazer: olhar um livro nos olhos (na capa) e sem piedade jogá-lo em um grande saco preto. Afinal, a história dos livros é a história da destruição dos livros.

O que eu estou tratando aqui é o número esmagador de livros indesejados – indesejados pelas bibliotecas, livreiros e leitores, como os do vovô Mario – que são doados ou despejados em bibliotecas. Naqueles sacos pretos foram descartadas livros que mesmo José Mindlin teria dificuldades de defender ou amar.

(continua…)

Clique aqui para ler o artigo na íntegra na fonte original. Fonte: Revista Biblioo

Deixe um comentário

Arquivado em Ciência da Informação: Biblioteconomia e arquivologia